Encontra-se perfeitamente estabelecido na investigação científica e na prática clínica a existência de uma relação co-mórbida entre a Dislexia e a Discalculia. Diversos estudos empíricos demonstram que 30% a 70% das crianças com uma destas Perturbações da Aprendizagem Específicas podem apresentar concomitantemente critérios de diagnóstico de Dislexia e Discalculia. Deste modo, torna-se importante efectuar uma avaliação de diagnóstico diferencial aquando de uma avaliação clínica no âmbito da Dislexia e/ou Discalculia.

 

Segundo a British Dyslexia Association a Discalculia afecta aproximadamente 3% a 6% da população e pode ser definida como:

 

“A condition that affects the ability to acquire arithmetical skills. Dyscalculic learners may have difficulty understanding simple number concepts, lack an intuitive grasp of numbers, and have problems learning number facts and procedures. Even if they produce a correct answer or use a correct method, they may do so mechanically and without confidence.”

 

A Discalculia é uma perturbação neurodesenvolvimental onde as competências aritméticas se encontram significativamente comprometidas apesar de um adequado funcionamento intelectual, estabilidade emocional e práticas pedagógicas consistentes.

 

Segundo o DSM-5 a Discalculia é considerada uma Perturbação da Aprendizagem Específica com Défice na Matemática caracterizada por uma significativa dificuldade no conceito do número, na memorização de factos aritméticos, na fluência e precisão do cálculo, e na precisão do raciocínio matemático. Ver Critérios de Diagnóstico do DSM-5 para Perturbação da Aprendizagem Específica – Défice na Matemática.

 

Do ponto de vista neurológico, as alterações no cálculo mental decorrentes da Disculculia parecem estar associadas a alterações funcionais na região intraparietal e na região inferior frontal do córtex cerebral. Em termos neuropsicológicos demonstram dificuldades na memória de trabalho e em algumas funções executivas.

 

As crianças com Discalculia apresentam as seguintes dificuldades e alterações nas competências aritméticas:

  • Dificuldades na aprendizagem e na recordação de conceitos aritméticos, no cálculo matemático e utilizam estratégias “imaturas” na resolução de problemas.
  • Dificuldades na compreensão do conceito de numerosidade (“numerosity“). Por exemplo, demonstram muitas dificuldades em comparar magnitudes numéricas (ver Figura 1), em contar rapidamente um conjunto de pontos (necessidade de contar um-por-um, com dificuldade em utilizar outro tipo de estratégia) (ver Figura 2) ou em reconhecer rapidamente qual o maior conjunto de pontos sem os contar (ver Figura 3).
  • Dificuldades nos conceitos de medida/quantidade, de tempo, de espaço e monetário.
  • Dificuldades na compreensão e resolução de problemas.
  • Dificuldades nas operações matemáticas básicas: adição, subtracção multiplicação e divisão. É ainda frequente esquecerem-se do número de transporte.
  • Dificuldades na memorização de conceitos, regras e fórmulas matemáticas.
  • Dificuldades na memorização e aplicação da tabuada.
  • Leitura errada dos números (por exemplo: adicionam, omitem, substituem ou trocam a ordem dos algarismos aquando da leitura de números.
  • Entre vários outros sintomas.

 

Figura 1 – As crianças com Discalculia revelam dificuldades em comparar magnitudes numéricas quando a diferença entre dois valores é próxima.
Figura 2 – As crianças com Discalculia revelam dificuldades em contar rapidamente um conjunto de pontos.
Figura 3 – As crianças com Discalculia revelam dificuldade em reconhecer rapidamente qual o maior conjunto de pontos sem os contar.

 

Outras Páginas Relacionadas
Discalculia – O que é?